BIOCRONICAS
nation2.com

comunidades.net

ANABELA - DIÁLOGOS DA ALMA I

Anabela!
O que tem a Anabela? Hã???? Foi assim que tudo começou, naquela tarde Primaveril, o sol atormentado com um compacto de nuvens vindas de Norte. Imaginei, desde logo, o fogo que ardia no teu peito. O fulgor enigmático nos teus olhos castanhos. A beleza que sobressaia da tua alma aflorada apenas na tua interrogação.

Anabela. Hã!!!??? Que se passa amiga? Fui ver. E lá está de facto ...a Anabela... antes de loucos e depois de a voz ouve-se...E penso na virtude que é ter a fortuna de te haver achado entre a palavra loucos e a palavra voz e não saber o motivo. Sonhei-te. Já sei! Tínhamo-nos cruzado no blog de Samsara . Tinhas feito um, desafio, após uma prédica aos loucos . E eu ia perguntar a Samsara se a Anabela era sua amiga. foi isso. Só pode. Apareces sempre tão misteriosa, vais e vens pelos caminhos do Planeta Terra. Não dizes de onde vens, quem és, para onde vais depois de aqui, só sabes que vais pelos teus próprios pés. Saúdo-te mulher bela e formosa, e a harmonia das palavras que já de ti ouvi. O teu rosto é sereno, sabe à lírica de doce poesia. E porque não comentas a saga dos amantes desesperados, afogados em volúpia de prazeres sórdidos mas reais.? Amiga, não se passa nada. Tão só o que te expliquei acima.
Anabela a tua exclamação e o tom irritado, quase colérico da tua voz, sentida, inspirou-me esta breve composição. Achas que me saí bem? É isso, julgo que ia escrever a pergunta, se ela sabia quem eras, ou para não formular toda a pergunta deixei em uma espécie de código. Que pelos vistos a dita Samsara não ligou muito porque nunca mais me respondeu.

Fazes um compasso de espera na penumbra da sala onde o computador sobre a mesa repousa das consultas frenéticas que executas amiúde, para saberes de ti, a informação conflituosa que te vem de fora do mundo, do teu mundo, e onde reaprendes o retorno das palavras, a sua acutilância em aspectos importantes do teu viver.

Estás enganado Neo.Digo quem sou, sim...devo ser a única que assina com o seu verdadeiro nome...já te disse de onde venho...que queres saber mais?Olho de onde me vêm as tuas palavras, suaves, quentes, irritadas, ou serão maliciosas?O que eu queria e não digo, penso apenas à espera de ter a coragem de te dizer, era saber o lugar onde nasceste, onde correste a infância e viveste a adolescência, onde amaste pela primeira vez, onde aprendeste os segredos da descrição, a sublimidade dos gestos e da sabedoria. De onde vieste menina para continuar o sentido de ser mulher. Se amas, se és amada, se queres amar se esperas por ser amada, se sofres...

Anabela.
Admiro-te pela graça, pela ousadia e o tom das tuas palavras. Imagino que és uma mulher de grande sensibilidade. Que estás ferida de uma qualquer situação mas não sentes ainda, espero que venhas a sentir, a confiança neste espaço onde entraste e só viste mixórdia e insanidade, ou aparente insanidade. Quero dizer-te que aqui tudo é falso menos as palavras de todos os intervenientes, eu devia falar só por mim, mas atrevo-me a acreditar nas análises das palavras e a atribuir-lhes vida e conexões várias de per si e entre si. ( e da música, gostas?), Quem aqui entra é porque está interessado na procura, para mais se entra e fala. Tu falaste minha amiga, e eu acredito que tens de ter algo de mais substancial para nos ajudar e te ajudar na busca do sentido dos desejos, de como desmistificar os dramas que as pessoas enfrentam e fortalecermos a confiança de cada um para enfrentar-se enquanto destino.
As tuas palavras acima, querem dizer intervenção. E eu digo que sim, intervém. Ganha confiança em mim, em nós.

A tua voz ainda soa longe do tom amigo e fraterno com que te falo, com que tento ganhar-te, porque te sinto importante, porque a tua luminosidade confunde-me com o êxtase da Luz Divina, e quero beber de ti, imbuir-me de ti...
Neo. Não sinto confiança, pois para esta existir, a meu ver, tem que se olhar para a outra pessoa, sentir o seu olhar...podemos trocar ideias, espicaçar-nos mentalmente, aprendermos coisas uns com os outros...mas confiar plenamente?... desculpa-me mas não consigo...
Espero ser uma mulher de grande sensibilidade...e por isso mesmo sinto também quem tem essa sensibilidade...a Samsara, por exemplo, é de uma sensibilidade extrema, linda como só ela..



nota parte ( II ) esá editada no blog http://neoabjeccionismo.blogs.sapo.pt

parte (III) está editada no blog http://samueldabo.blogs.sapo.pt




É o que me proponho. Escrever sobre vidas anónimas que valem as luzes da ribalta ou a fixação histórica e que traduzem a essência de um povo. Primeiro de uma família. Primeiro ainda, ou antes de tudo, a essência de um homem, de uma mulher.

Escreverei por encomenda, preços de acordo com extensão e pesquisa de documentação. Mas com a paixão que o percurso proposto me suscitar.

Aguardo a vossa proposta.



J.R.G.


Criar um Site Grátis    |    Create a Free Website Denunciar  |  Publicidade  |  Sites Grátis no Comunidades.net